menu
ALT + 1
conteúdo
ALT + 2
home
ALT + 3
pesquisar
ALT + 4

contraste

texto

Início do conteúdo

A cidade > A Uva

A Uva

Uva




A uva é uma fruta rica em carboidratos, apresentando também pequenas quantidades de vitaminas do Complexo B e C e minerais como cálcio, magnésio, fósforo, ferro, potássio e sódio. Além disso, contém também compostos antioxidantes e anticancerígenos. Sua casca contém resveratol, uma substância que inibe o agrupamento de plaquetas, a formação de coágulos sangüíneos e aumenta o HDL (bom colesterol). A uva rosada por sua vez possui alto teor do antioxidante quercetina. O melhor período para consumo da uva é nos meses de janeiro e fevereiro. Seu período de safra vai de janeiro a março. Do total produzido, calcula-se que cerca de 80% é usado na fabricação de vinhos e outras bebidas alcoólicas, 10% para o consumo ‘in natura`, 5% na fabricação de uvas passas e 5% para fabricação de sucos.



Uva em Bento Gonçalves


Área plantada - uva comum 3.780 hectares
Área plantada - uva vinífera 1.620 hectares
Produção estimada - uva comum 94.500 toneladas
Produção estimada - uva vinífera 33.210 toneladas
Produção por hectare - uva comum 25.000 kg
Produção por hectare - uva vinífera 20.500 kg
Propriedades rurais: 1.400
Famílias envolvidas: 1.200
Fonte: Emater


Variedade de Uvas




Variedades brancas e rosadas:


CHARDONNAY - A uva Chardonnay é originária da França, das regiões de Borgonha e Champagne. É conhecida como a rainha das uvas brancas. Seu vinho apresenta características muito distintas, de aroma frutado e paladar delicioso. Como é a mais fina de todas as viníferas, esta variedade gera grandes vinhos na região de Champagne, Bourgogne e Chablis, e é largamente utilizada para a elaboração do vinho espumante. Suas frutas são pequenas, brilhantes e repletas de um incrível suco branco açucarado. Das viníferas brancas, é uma das que melhor e mais rápido se adaptaram no Brasil, primeiro no Vale Aurora e depois em outras regiões. O Vinho Chardonnay normalmente é um vinho pleno, vigoroso, com aroma e paladar característicos, seco e ao mesmo tempo delicado e sutil. Sua cor é amarelo palha e com alguns meses de garrafa, pode chegar ao amarelo ouro. Muitos enófilos consideram o Chardonnay como o mais completo vinho branco elaborado no Brasil.

GEWÜRZTRAMINER - De origem franco-alemã, a Gewürztraminer tem seu berço na divisa da Alemanha com a França, na região da Alsácia. Esta variedade é um selecionado do Traminer aromático do Tirol do Sul. De cachos pequenos e cônicos e bagas de uma cor rosa realmente incrível. O vinho Gewürztraminer, muito original e sedutor, com freqüência atinge a excelência. Seu olfato e paladar são extremamente aromáticos e com extraordinária riqueza, muitas vezes chegando à exuberância. É suave ao olfato e seco ao paladar, o que lhe confere especial característica. Dos bagaços desta uva pode ser elaborada a graspa de qualidade superior, desde que seus bagaços sejam fermentados.

RIESLING ITÁLICO - Cepa originária da Europa Centro-oriental, selecionada do nordeste da Itália. Pode-se dizer categoricamente que entre as viníferas nobres foi a que melhor se adaptou no Brasil. Suas bagas são finas, brancas e seu cacho bem consistente. Os vinhos desta elaborados são finíssimos, de muita personalidade e de bouquet característico. O vinho Riesling Itálico normalmente é vinho delicado, sutil, seco, de coloração amarelo-esverdeada, menos encorpado, mas de bouquet pronunciado.

PINOT BLANC - Esta vinífera tem produzido com muita qualidade na Serra Gaúcha, igualando-se à da Bourgogne, de Champagne, do Norte da Itália e da Alemanha, onde ela é conhecida como Klevner, Weisses Burgunder. Originária da Bourgogna França, através de uma mutação da Pinot Noir. Seus generosos cachos, afunilados na forma e dourados na cor, resultam em mostos muito ricos em açúcares, sais, aldeídos e ésteres. Seu vinho é harmônico, equilibrado e macio, amarelo-palha e cristalino, aromático e marcante. Essas são as principais características desse vinho, um dos três mais perfeitos brancos.

SAUVIGNON BLANC - Em quase todas as regiões para as quais foi levada, esta importante vinífera se adaptou bem e tem produzido com qualidade e em boa quantidade. Sem dúvida é a mais cosmopolita das viníferas. Seus cachos são alados, cônicos. Suas bagas são ovaladas. O toque de framboesa do Cabernet Sauvignon e o leve acento de especiarias do Gewürztraminer estão presentes no aroma e bouquet desse vinho, confirmando assim a possível hibridez da Sauvignon Blanc.

RIESLING RENANA - Tirolesa ou Alsaciana de origem, do vale do Reno ou do Mosela, a incomparável Riesling Renana fez da Serra Gaúcha seu berço, adotando a cidadania brasileira sem perder nenhuma de suas características. De grãos pequenos e de baixa produtividade, mas de uma qualidade e riqueza insuperáveis, essa uva introduzida na França por Luiz, o Germânico, torna os brancos da Alsácia legendários e incomparáveis. Seus vinhos, brancos secos, de aroma delicado e sutil, formado por uma mistura de acácia com flor de laranjeiras, deixando-nos a boca perfumada e, nela, um retrogosto inesquecível.

TREBIANO - De origem provável do Vale de Trebbia, na região da Emilia-Romagna, Itália. Variedade trazida para o Brasil já há bastante tempo e que tem se adaptado perfeitamente nas principais regiões produtoras. De cacho grande de coloração amarelo-esverdeada e de excelente produção. Seus vinhos são largamente utilizados para a elaboração dos destilados de vinho, Brandy, chamados de "conhaque" no Brasil.

MOSCATO BRANCO - Sua origem provém da Bacia do Mediterrâneo, Magna Grécia. Cepa implantada no Brasil já há bastante tempo. Seus cachos são generosos, bem compactos e densos, seus grãos são grandes e de cor amarelo-esverdeados. Sua maturação é tardia proporcionando vinhos bem aromáticos que geralmente são utilizados para corte juntamente com as malvasias, variedades também muito aromáticas.



Variedades Tintas:


GAMAY - Gamay representa uma família de variedades de uvas. A Gamay Beaujolais trazida da Bourgogne, foi facilmente aclimatada nas estações experimentais desta região. Seus vinhos são cristalinamente transparentes, de coloração viva e brilhante. O Gamay Beaujolais é normalmente um vinho frutado, macio, descontraído, adequado para qualquer ocasião. Vinho para ser consumido jovem, principalmente quando elaborado pelo processo de maceração carbônica.

TANNAT - Cepa originária de Pirineus Orientais, França, tendo se adaptado espetacularmente no Uruguai, sendo que sua adaptação e difusão na Região da Serra Gaúcha está ocorrendo da mesma forma. Variedade de excelente rendimento de peso. Seu vinho é largamente utilizado para cortes, pois tem grande carga de taninos, aporta cor e melhora o extrato seco dos vinhos. Vinho de longo envelhecimento, sendo muito duro se for consumido jovem, principalmente pela grande quantidade de tanino e a alta intensidade e tonalidade de cor.

CABERNET SAUVIGNON - Cabernet Sauvignon é considerada a rainha das uvas tintas de todas as partes do mundo. A origem da cepa Cabernet Sauvignon remonta a época da dominação romana, na região de Bourdeaux, então Sul de Gália. Variedade típica de Bordeaux, especialmente das regiões do Médoc e de Graves, é também conhecida como Petit Cabernet ou Petit Bouchet. Seus frutos se apresentam em pequenos cachos, bagos miúdos, pele dura de cor azul escuro com reflexos esbranquiçados, de sabor herbáceo. Adaptou-se em poucos terrenos e climas do mundo. Cabernet Sauvignon é o nome do vinho. Vinho tinto seco, soberbo, encorpado, de aromas intensos, vigoroso no bouquet que lembra nitidamente o pimentão verdel, com sabor levemente herbáceo e cor violeta escuro, com tendência rubi. O Cabernet Sauvignon é um vinho com forte acento de tanino, um pouco duro enquanto jovem, mas que, com o tempo, adquire corpo e um fino e delicado bouquet, tornando-se aveludado. Vinho fino que suporta um longo envelhecimento.

CABERNET FRANC - A variedade Cabernet Franc é originária da França, Bordeaux. É uma variedade clássica para os tintos de Bordeaux, mais produtiva que a média das demais viníferas nobres. Adaptou-se relativamente bem em toda a Serra Gaúcha. O Cabernet Franc normalmente é um vinho de médio corpo, cor rubi-vivo, brilhante, equilibrado, maduro, apresenta intenso bouquet, com traços florais de violeta, lembrando framboesas silvestres, inconfundível. Vinho tinto que suporta um médio envelhecimento. Esta variedade aporta ao vinho suas excelentes qualidades igualmente na Serra Gaúcha, como em seu habitat natural, tornando seus vinhos os mais característicos da região.

MERLOT - A uva Merlot é uma variedade proveniente de Bordeaux França, sobretudo de Saint Emillion e Pomerol. Variedade produtora de apreciável vinho tinto, tendo-se adaptado perfeitamente nas regiões de menor altitude da Serra Gaúcha, principalmente no Vale Aurora por ter uma das mais baixas altitudes da Região da Serra Gaúcha. O vinho Merlot tem belíssima cor rubi, é tenro, frutado, complexo, aveludado. Um vinho encorpado. Pode ser consumido jovem, porém ganha com o envelhecimento, tornando-se cada vez mais aveludado.

PINOT NOIR - Apelidada de "morillón", por ser negra como um mouro, é uma vinífera da Bourgonha e de Champagne. Seus frutos são pequenos de suco generoso e com pele de coloração azul escuro que tinge o mosto de rubi violeta, durante a fermentação. Na França, a Pinot Noir é a responsável pelos grandes Romanée Conti, Chambertin, Clos Vougeot, Pomarde e outros. Produz vinhos tintos generosos, de pouca intensidade de cor, apresentando-se com uma cor violácea, com aromas e bouquet super agradáveis e marcantes. É um vinho para ser consumido jovem.

PINOTAGE - Cultivar originária da África do Sul, tendo sido desenvolvida através do cruzamento entre a Pinot Noir e Cinsault, adaptando-se muito bem em todas as macro-regiões da Serra Gaúcha. Seus frutos apresentam-se em cachos bem compactos com as bagas ligeiramente alongadas. Nos anos de pouca chuva na Região da Serra, seu teor de açúcar é altíssimo tornando seu mosto generoso em aromas. Nestas condições seus vinhos tornam-se aveludados já no primeiro ou segundo ano. Seus vinhos são de média coloração, sem muita intensidade de cor, com uma carga tânica não muito pronunciada, tornando-o um vinho jovem que pode ser consumido sem passar pelo processo de envelhecimento. Possui aroma e bouquet extremamente característico, tornando-o inconfundível.


Fonte: Cooperativa Vinícola Aurora – www.vinicolaaurora.com.br